Toninho Russi é preso enquadrado na Lei Maria da Penha

Toninho Russi preso pela Lei Maria da Penha

A Polícia Militar recebeu denúncia de que um homem estaria com mandado de prisão ativo. Tratava-se de ocorrência de cumprimento de mandado de prisão, onde a guarnição chegou ate o referido local e obteve exito em abordar Antônio Carlos Russi, que estava com um mandado de prisão ativa, sendo que a guarnição.

Após consulta no banco de dados foi constatado que Toninho possuía em seu desfavor um mandado de prisão ativo pela Lei Maria da Penha (Autos Nº. 0001194-24.20178.24.0025 / MP 025.2017/009848-3 – Z06 Gaspar). Foi algemado e conduzido para o Presídio Regional de Blumenau e recebido pelo Agente Penitenciário Paiva Mat. 349570-1.

Antonio Carlos, conhecido popularmente por Toninho Russi foi vereador na cidade entre 2005-2008 e já atuou também como secretário em Ilhota.

Dados da ocorrência

  • Ocorrência: 3320222
  • Cumprimento de mandado de prisão
  • Qth: Estrada Geral Bau Central, 4672
  • Autos processo TJ: 0001194-24.20178.24.0025
  • Autos processo MP: 025.2017/009848-3

Anúncios

Polícia Civil e Militar prendem irmãos suspeitos de cometerem crimes em Ilhota

Operação foi realizada em conjunto com as polícias Civil e Militar na manhã do dia 3/11, em Ilhota levou à prisão dos irmãos Elias Linhares e Elizeu Linhares em uma residência localizada no bairro Vila Nova, em Ilhota.

A Tocha Olímpica passará por Ilhota e terá trânsito alterado durante percurso

Ilhota receberá o revezamento da tocha olímpica no dia 12 de julho, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, 2016, Newsletter, Feed

A cidade de Ilhota está se preparando para receber a passagem da Tocha Olímpica, a qual acontece nesta próxima terça-feira, dia 12. A rodovia Jorge Lacerda vai ser palco do revezamento que inicia às 15h, saindo em frente a Igreja Matriz São Pio X, o percurso de um quilômetro encerra em frente ao número 373. Uma cerimônia vai marcar o início do revezamento nas escadarias da Igreja Matriz.

O revezamento

O revezamento será feito por atletas que são do município entre eles está a goleira da Seleção Brasileira de Futsal Missiara Luiza Papst, o Bombeiro Civil Voluntário de Ilhota Anderson Douglas Bruno e por Bruno Back da Silva.

Ruas fechadas

Com a passagem do revezamento da tocha pelo município, algumas ruas da cidade ficaram interditadas a partir das 14h, inclusive a travessia da balsa. O bloqueio da rodovia Jorge Lacerda inicia na rua Modesto Vargas, em frente aos Correios, as vias transversais que dão acesso a Jorge Lacerda também estarão bloqueadas.

Haverá uma rota alternativa para veículos quem necessitarem transitar no sentindo Gaspar – Itajaí ou vice versa, esse trajeto poderá ser feito pelas ruas Modesto Vargas, Dr. Leoberto Leal (Sentido Ilhotinha) entrando na rua João Domingos Pereira, Passando pelo Bairro Missões, tendo como saída a Rodovia Jorge Lacerda e Novamente pela rua Silvério Silveira Ramos.

Vale ressaltar que o desvio será apenas para veículos leves (carros e motos) já caminhões e ônibus deveram estacionar nas extensões da própria rodovia ou em locais apropriados como postos de combustíveis entre outros.

Também será proibido o estacionamento de veículos em toda extensão do revezamento, o trabalho será acompanhado e fiscalizado pela Policia Rodoviária Federal (PRF) e também pela Policia Militar (PM).

Seguindo decreto da prefeitura, as de mais ruas também estarão bloqueadas para o trafego de veículos:

  • Rua Antonio Curbani;
  • Rua Isidorio Maes;
  • Rua Frei Jacinto;
  • Rua Dr. Leoberto Leal;
  • Rua Ângelo Tres;
  • Rua Almirante Tamandaré;
  • Rua Prof° Maura Inácio
  • Rua José Nilson Souza;
  • Rua Álvaro Cezar Schneider;
  • Rua Felisky;
  • Rua Bonifácio Maba;
  • Rua José Gonçalves; e
  • Rua Ezequiel Francisco

Esse é o link do Decreto nº 121, de 29 de junho de 2016, em que o prefeito de Ilhota, no uso das atribuições, atribui interrupções na ruas da cidade, durante a passagem da Tocha Olímpica pelo Município de Ilhota, no dia 12 de julho de 2016.

Ilhota receberá o revezamento da tocha olímpica no dia 12 de julho, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, 2016, Newsletter, Feed

😀

Balsa de Ilhota estará fechada durante o Revezamento da Tocha em Ilhota

aviso-balsa03

O comitê do revezamento da Tocha Olímpica informa que a Balsa que faz a travessia entre as margens do Rio Itajaí-Açu, estará fechada das 14h às 16h. Durante este intervalo, a travessia será feita, mas apenas para pedestre.

Esse é um dos eventos mais esperados pelos moradores da cidade de Ilhota em Santa Catarina e que está preste a acontecer no próximo dia 12 do corrente mês. Trata-se da passagem da Tocha Olímpica pela rodovia que corta o município, a Jorge Lacerda. Segundo determinações do Comitê Nacional das Olimpíadas, a Policia Civil, Militar e Federal além de outros órgãos ligado a segurança publica, estará envolvido na organização da passagem da Tocha e orientações do trânsito alem dos bloqueios em todo trajetos que passara a Tocha Olímpica.

Com a passagem do Revezamento da Tocha pelo município, algumas ruas da cidade ficaram interditadas durante o percurso. Como o evento ocorrerá na Rodovia Jorge Lacerda, o fechamento da via iniciará na Rua Modesto Vargas (em frente aos correios), e também as demais ruas que necessitarem ser bloqueada como as vias transversais que dar acessos a rodovia.

O revezamento será feito por atletas que são do município entre eles está a goleira da Seleção Brasileira de Futsal Missiara Luiza Papst, o Bombeiro Civil Voluntário de Ilhota Anderson Douglas Bruno e também por Bruno Back da Silva.

Esse é o link do Decreto nº 121, de 29 de junho de 2016, em que o prefeito de Ilhota, no uso das atribuições, atribui interrupções na ruas da cidade, durante a passagem da Tocha Olímpica pelo Município de Ilhota, no dia 12 de julho de 2016.

Ilhota receberá o revezamento da tocha olímpica no dia 12 de julho, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, 2016, Newsletter, Feed

😀

Alteração no trânsito durante a passagem e o revezamento da Tocha Olímpica por Ilhota

Mapa da rota alternativa durante o revezamento da tocha olímpica no dia 12 de julho, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, 2016, Newsletter, Feed

A Rua 21 de Junho, que trata-se da Rodovia Jorge Lacerda, será fechada, por volta das 13h30, na altura da rua Modesto Vargas até altura da loja Instinto Feminino. Todas as vias transversais que dão acesso a rua 21 de junho estarão bloqueadas por causa do evento. Haverá um desvio para veículos leves, que iniciará na rua Modesto Vargas e terminará na rua Silvério Silveira Ramos.

Vale ressaltar que o desvio será apenas para veículos leves (carros e motos) já caminhões e ônibus deveram estacionar nas extensões da própria rodovia ou em locais apropriados como postos de combustíveis entre outros.

Também será proibido o estacionamento de veículos em toda extensão do revezamento, o trabalho será acompanhado e fiscalizado pela Policia Rodoviária Federal (PRF) e também pela Policia Militar (PM).

Seguindo decreto da Prefeitura, as de mais ruas também estarão bloqueadas para o trafego de veículos:

  • Rua Antonio Curbani;
  • Rua Isidorio Maes;
  • Rua Frei Jacinto;
  • Rua Dr. Leoberto Leal;
  • Rua Ângelo Tres;
  • Rua Almirante Tamandaré;
  • Rua Prof° Maura Inácio
  • Rua José Nilson Souza;
  • Rua Álvaro Cezar Schneider;
  • Rua Felisky;
  • Rua Bonifácio Maba;
  • Rua José Gonçalves; e
  • Rua Ezequiel Francisco

Esse é o link do Decreto nº 121, de 29 de junho de 2016, em que o prefeito de Ilhota, no uso das atribuições, atribui interrupções na ruas da cidade, durante a passagem da Tocha Olímpica pelo Município de Ilhota, no dia 12 de julho de 2016.

O revezamento será feito por atletas que são do município entre eles está a goleira da Seleção Brasileira de Futsal Missiara Luiza Papst, o Bombeiro Civil Voluntário de Ilhota Anderson Douglas Bruno e por Bruno Back da Silva.

Ilhota receberá o revezamento da tocha olímpica no dia 12 de julho, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, 2016, Newsletter, Feed

😀

Impunidade da polícia. Apoie a petição pedindo o fim da impunidade para policiais que cometem abusos

chega de impunidade, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, 2014

Eu perdi meu filho cedo demais, quando ele tinha apenas 16 anos. As vítimas da violência no Brasil são quase sempre jovens, principalmente negros e da periferia, muitos deles inocentes, pegos no fogo cruzado entre criminosos e policiais.
Maria José pedindo o fim da impunidade para policiais que cometem abusos.

Assine a petição, o abaixo-assinado

Hoje, Maria José da Silva trabalha com jovens em situação de risco e outras mães que perderam seus filhos vítimas da violência. Por isso, criou este abaixo-assinado pedindo o fim da impunidade para os maus policiais que cometem crimes e nunca são investigados. São eles que tiram a credibilidade de toda a força policial e deixam uma péssima reputação para a classe.

Esse abaixo-assinado pede o fim do “auto de resistência”, uma classificação legal que permite que policiais  que cometem assassinatos nunca sejam investigados ou punidos.

Não podemos continuar em uma situação onde não sabemos se nossos filhos voltarão vivos para casa. O único medo que sempre senti foi ver um filho partir e isto aconteceu. Não estou pedindo a punição a todos policiais, mas sim o fim da impunidade. Por favor, me ajudem a salvar muitas vidas colocando seu nome neste abaixo-assinado.

Aprovem o fim da impunidade para maus policiais que executam inocentes

Aprovem o fim da impunidade para maus policiais que executam inocentes

É uma vergonha vivermos no país onde mais mata à mão armada no mundo. Por mais doloroso que seja falar sobre isso, não me calei e nunca vou me calar. Meu filho Tiago foi vítima de um duplo homicídio, morreu cedo demais, apenas com 16 anos, agora ele também faz parte de uma estatística triste do nosso país. As vítimas desta violência quase sempre são jovens, principalmente negros e da periferia, muitos deles inocentes, pegos no fogo cruzado entre criminosos e policiais. Falar disso não é fácil, dói muito. Mas ao contrário de muitas mães que se isolam e sofrem quietas, escolhi fazer algo a respeito.

O caso do DG, dançarino do Programa Esquenta da Regina Casé, ajudou a dar visibilidade para esses casos. O DG era famoso, mas muitas vítimas não são e caem no esquecimento O fato é que grande parte dos homicídios praticados pelos maus policiais jamais serão investigados. Os maus policiais continuam nas ruas, tirando a credibilidade da força policial, e deixando uma péssima reputação de toda a classe. Para mudar isso é preciso acabar com a impunidade. A ideia não é punir todos os policiais, mas apenas aqueles que realmente cometem abusos.

E existe uma chance para isto! Há uma proposta na Câmara dos Deputados que pode realmente ajudar a investigar e punir os maus policiais, aqueles que torturam e matam. A proposta, o PL 4471/12, iria eliminar a classificação conhecida como “auto de resistência”, em outras palavras, homicídios considerados “legítima defesa” e que, portanto, nunca serão investigados. Precisamos apoiar esta iniciativa para mostrar que a sociedade não está mais anestesiada com a violência, e que acreditamos que há chances de acabar com esta injustiça e impunidade.

A maioria das pessoas que não convive com a extrema violência das periferias não tem noção de quantos jovens morrem todos os dias. Vivemos em um estado de medo, nossos filhos saem de casa e não sabendo se vão voltar vivos. O único medo que sempre senti foi ver um filho partir e isto aconteceu. Agora, em nome de muitas mães, preciso de ajuda para mudar essa injustiça que destrói tantas vidas, é um compromisso que tenho com meu filho e comigo mesma. Por favor, me ajudem a salvar muitas vidas assinando este abaixo-assinados.

Seminário violências, segurança pública, tecnologias e inovação social

Seminário violências, segurança pública, tecnologias e inovação social

Recebi um e-mail de Jean Paulo Cimolin, 1 Sgt PM do Setor de Pesquisa da Diretoria de Ensino da Polícia Militar de Santa Catarina bem interessante e resolvi compratilhar com toda a rede. Aqueles que tiverem interesse, participem, que para mim é meio longuinho, para outros, basta apenas a leitura…

O Comando Geral da Polícia Militar de Santa Catarina, através do Centro de Ensino e a Unochapecó, realizarão nos dias 30 e 31 de outubro o Seminário “Violências, Segurança Pública, Tecnologias E Inovação Social”, na cidade de Chapecó/SC.

O evento tem o objetivo de contribuir para a socialização de conhecimentos produzidos, o incentivo da produção de novos conhecimentos e a construção de diálogo entre comunidades, trabalhadores da segurança pública, estudantes, professores, pesquisadores, profissionais de diferentes áreas do conhecimento e as agências de segurança no que diz respeito ao tema violências, segurança pública, tecnologias e inovação social.

Site do evento: http://www.unochapeco.edu.br/seminarioviolencia

Todas as inscrições são gratuitas.

Convidamos e solicitamos a possibilidade de divulgar para sua rede de contatos para que os interessados venham participar desta oportunidade de discutirmos Segurança Pública.

Desmilitarização das Polícias do Brasil

Desmilitarização das Polícias do Brasil

Assine a petição, o abaixo-assinado

Por que isto é importante?

A Constituição Federal Brasileira de 1988, prestes a completar seu primeiro quarto de século, é obrigada a conviver com uma série de fracassos sobre diversos pontos de seu texto magno. Muitos dos direitos humanos por ela assegurados, a começar pelo direito à vida e à liberdade de ir e vir, continuam sendo cotidianamente violados.

Dentre esses problemas, um dos principais entulhos do período Escravocrata e, mais recentemente, da Ditadura Civil-Militar, é a violência sistemática de agentes do estado contra a nossa própria população. A violência policial é hoje, certamente, um dos principais problemas a serem enfrentados pelo Brasil no que tange à defesa dos direitos humanos em nossa sociedade. A persistência da tortura nas abordagens cotidianas e nas delegacias policiais, como “técnica” de “investigação” por parte dessas instituições, mesmo pós-ditadura; o encarceramento massivo de pessoas (o Brasil atualmente ocupa a 4ª posição mundial, com mais de 520.000 pessoas em privação de liberdade); e, principalmente, as execuções extrajudiciais cometidas sistematicamente por agentes do estado, conformam um quadro preocupante em relação à segurança pública e à garantia da cidadania básica para a grande maioria da população.

É dentre os vários aspectos desse problema que as execuções sumárias cometidas por grupos de policiais militares ou paramilitares de extermínio configuram, por certo, a dimensão mais brutal. Não foi outra a conclusão do mais recente Mapa da Violência (2012), coordenado pelo professor Júlio Jacobo Waiselfisz e divulgado no início do ano pelo Ministério da Justiça (http://mapadaviolencia.org.br/PDF/Mapa2012_Tra.pdf), o qual procurou investigar “os novos padrões da violência homicida no Brasil”: ao longo dos últimos 30 anos, mais de 1 Milhão de pessoas foram assassinadas no país. Neste período histórico ironicamente concomitante à redemocratização brasileira, houve um aumento de 127% no número de homicídios anuais no território nacional – dos quais a imensa maioria das vítimas é composta por jovens pobres e negros, conforme demonstram as diversas estatísticas correlacionadas no estudo. Verdadeiros números de guerra.

Um cenário que tem preocupado crescentemente a opinião pública e diversos órgãos especializados em Direitos Humanos não apenas brasileiros, mas também diversas entidades mundo afora. Tendo em vista tudo isso, recentemente, multiplicaram-se no noticiário internacional demonstrações contundentes de preocupação por parte desses órgãos em relação ao Brasil: o recém-lançado “Estudo Global sobre Homicídios – 2011” (http://www.unodc.org/unodc/en/data-and-analysis/statistics/crime/global-study-on-homicide-2011.html), realizado pelo Departamento de Drogas e Crimes da ONU (UNODC) confirma que, dentre as 207 nações pesquisadas, o país apresenta o maior número absoluto de homicídios anuais: 43.909, em 2009 – sendo que já passou de 47.000 em 2011; a Anistia Internacional voltou a denunciar, em seu relatório anual de 2012, a violência e “o abuso policial como um dos problemas mais crônicos do país” (http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2012/05/anistia-internacional-volta-denunciar-violencia-policial-no-pais.html); até o Departamento de Estado Norte-Americano, na sequência, afirmou que “a violência policial mancha os Direitos Humanos no Brasil” (http://m.estadao.com.br/noticias/nacional,abuso-policial-mancha-direitos-humanos-no-brasil-dizem-eua,877472.htm); e, ainda mais recentemente, o Conselho de Direitos Humanos da ONU recomendou explicitamente que o Brasil trate de “combater a atividade dos ‘esquadrões da morte’ e que trabalhe para suprimir a Polícia Militar, acusada de numerosas execuções extrajudiciais” (http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/efe/2012/05/30/paises-da-onu-recomendam-fim-da-policia-militar-no-brasil.htm).

Nas últimas semanas, por conta de nova onda de violência policial no estado de São Paulo, voltou-se a falar na opinião pública de algo que nós da Rede Nacional de Familiares e Amigos de Vítimas defendemos há algum tempo: a Desmilitarização das Polícias Brasileiras. Este foi um dos temas defendidos na Audiência Pública realizada no dia 26/07/2012, em São Paulo, convocada pelo Ministério Público Federal, a Defensoria Pública do Estado de São Paulo, o CONDEPE/SP, as Mães de Maio, o MNDH e diversos outros movimentos do estado (http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=20624). Foi também o quê defendeu o professor de filosofia da USP, Vladimir Safatle, em seu texto semanal como articulista no jornal Folha de S. Paulo (http://www1.folha.uol.com.br/colunas/vladimirsafatle/1124692-pela-extincao-da-pm.shtml).

Na madrugada do próprio dia 26 p/ 27/07/2012, uma chacina deixou 6 pessoas mortas na região do Jaçanã, Zona Norte de São Paulo, e diversas cápsulas de uso restrito da polícia foram encontradas nos locais das mortes (http://www.brasildefato.com.br/node/10192). Neste Sábado (28/07/2012), outra trágica notícia para todos nós: os policiais militares do BOPE fizeram mais uma vítima fatal no Rio de Janeiro: a menina Bruna Ribeiro da Silva, de apenas 10 anos, moradora do Morro da Quitanda, atingida por uma bala de fuzil na barriga, dentro de sua própria comunidade (http://oglobo.globo.com/rio/menina-vitima-de-bala-perdida-enterrada-sob-protestos-no-caju-5618236).

ESTE QUADRO DE TERROR COTIDIANO TEM QUE ACABAR!

PELA DESMILITARIZAÇÃO DAS POLÍCIAS EM TODO BRASIL!

No sábado (28/07/2012), os policiais militares do BOPE fizeram mais uma vítima fatal no Rio de Janeiro: a menina Bruna Ribeiro da Silva, de apenas 10 anos, moradora do Morro da Quitanda, atingida por uma bala de fuzil na barriga, dentro de sua própria comunidade (http://oglobo.globo.com/rio/menina-vitima-de-bala-perdida-enterrada-sob-protestos-no-caju-5618236).

Na semana passada (dia 19/07/2012), a PM de São Paulo em meio a vários assassinatos já havia tirado a vida do jovem Bruno Vicente de Gouveia e Viana, de apenas 19 anos, que recebeu 25 tiros no carro em que estava com mais 5 amigos, na comunidade do Morro do São Bento, em Santos-SP (http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2012/07/pm-atira-mais-de-25-vezes-contra-carro-com-jovens-em-santos.html).

O jovem Bruno e a menina Bruna se juntaram às centenas de milhares de vítimas fatais da violência policial militar no recente período “democrático” brasileiro.

Em homenagem à Bruna e ao Bruno, e a todas as outras vítimas fatais cotidianas das polícias militares em todo país, durante os últimos 30 anos de “democracia”, nós das Mães de Maio de SP, junto à Rede de Comunidades e Movimentos Contra Violência do RJ, a Campanha Reaja ou Será Morto da BA, a Frente Anti-Prisional das Brigadas Populares de MG, a Associação de Mães, Familiares e Amigos de Vítimas da Violência do Estado no ES, a Rede Dois de Outubro – Pelo Fim dos Massacres, e toda a Rede Nacional de Familiares e Amigos de Vítimas da Violência do Estado temos pedido há alguns anos a desmilitarização das polícias em todo o Brasil.

Vamos todos reforças essa ideia! Todas as Brunas e Brunos que compõem a maioria de nossa população, pobre e negra moradora das periferias, merecem cada minuto de nossa luta por Justiça e Paz!

Bandidos da Polícia Militar do Rio de Janeiro dispararam contra manifestantes

Bandidos da Polícia Militar do Rio de Janeiro dispararam contra manifestantes

Este carro realizou rondas pelo bairro de Laranjeiras e Botafogo no dia da manifestação do ‪#‎OcupaGuanabara‬, em 11 de julho de 2013. Pessoas mascaradas estavam no interior de veículo, estes elementos efetuaram disparos de arma de fogo em cima de manifestantes em diversos locais isolados. Não é surpresa, mas o carro é da Polícia Militar do Rio de Janeiro! CHEGA DE IMPUNIDADE! Faça denúncia para as autoridades, corregedoria! Se todos ficarem mudo, nada mudará! ESPALHE! REPASSE! Placa: KMW3453.

Muitas pessoas questionaram se esse veículo seriam realmente policiais militares, civis, federais, exército space ghost, galinha pintadinha ou bandidos… Bem, tirem suas conclusões… Para os gênios de plantão, no documento a cor é branca, mas o carro, assim como muitos carros civis, é envelopado em adesivo preto fosco, isso sempre foi feito com os carros do BOPE e CORE para que não reflitam nenhuma luz em operações noturnas…

Algumas pessoas conseguiram anotar o número da placa, se procurarem na nossa linha do tempo verá que no dia 11 mesmo divulgamos a placa no carro. Em uma consulta ao cadastro de veículo no Detran/RJ e constatamos que o carro sem identificação que efetuou disparos ao redor da manifestação de 11.07.2013 no Palácio Guanabara é mesmo um carro oficial da PMERJ.

Qualquer cidadão pode fazer esta consulta pelo link, placa KMW3453: http://www.detran.rj.gov.br/_monta_aplicacoes.asp?cod=16&tipo=crlv.

Documento da Blazer dos bandidos da Polícia Militar do Rio de Janeiro dispararam contra manifestantes

Manifesto contra a violência da PM nos protestos de jovens pelo transporte público

Manifesto contra a violência da PM

A ação da Polícia Militar do estado de São Paulo em protesto de jovens contra o aumento das tarifas da passagem do ônibus, metrô e trem na capital paulista é mais um episódio na história de violência e desrespeito ao direito de organização e manifestação.

O direito de manifestação sofre permanente ameaça no país, mesmo depois de 25 anos de promulgação da Constituição Federal, o que demonstra que a democracia ainda não está consolidada no país. A PM do estado de São Paulo, controlada pelo PSDB, mantém os métodos que desenvolveu na ditadura militar, reprimindo manifestações, efetuando prisões políticas de cidadãos e estimulando tumultos, inclusive com infiltrações para desmoralizar a luta e organização popular.

Não podemos esperar um comportamento democrático de uma PM liderada pelo PSDB que, em janeiro de 2012, mobilizou helicópteros, carros blindados e 2 mil soldados do Batalhão de Choque para fazer a reintegração de posse violenta de 1600 famílias que viviam desde 2004 no bairro Pinheirinho, em São José dos Campos (97 km de SP).

A legitimidade do protesto dos jovens contra o aumento das tarifas não pode ser desmoralizada por causa de ações equivocadas de uma minoria, que infelizmente não compreende que a sociedade está do lado daqueles que querem transporte barato e de qualidade para a população de São Paulo.

Apesar desses acontecimentos pontuais, a responsabilidade pela violência nos protestos é da Polícia Militar, que tem provocado o conjunto dos manifestantes, promovido o caos e agredido cidadãos que estão nas ruas exercendo o seu direito de manifestar de forma pacífica.

Esses protestos são importantes porque colocam em xeque uma questão central para a população da cidade, que é a mobilidade urbana. Os paulistanos perdem horas e horas todos os dias dentro de um carro ou ônibus parados no trânsito ou de um vagão de metrô e trem lotados. Horas que poderiam ser destinadas para ficar com a família ou para cultura, esporte e lazer, das quais são privados por causa de uma clara opção que privilegia o transporte privado e individual em detrimento do público e coletivo.

O histórico crescimento desordenado da cidade, o trânsito causado pelo número de carros nas horas de pico, a falta de linhas de metrô/trem, a baixa qualidade do sistema e a chantagem das empresas privadas concessionárias de ônibus, as altas tarifas do transporte público representam um problema social, que prejudica o conjunto da população, especialmente os mais pobres, que moram na periferia.

A lentidão da expansão do metrô é uma questão crônica da gestão do PSDB, que construiu apenas 21,6 Km de linhas do metrô, o que representa uma média de 1,4 km por ano. Com isso, São Paulo tem a menor rede metroviária entre as grandes capitais do mundo (apenas 65,9 km).

A gravidade dessa questão fez com que a mobilidade urbana fosse um dos temas centrais da campanha eleitoral para a prefeitura no ano passado. E o candidato Fernando Haddad, que acabou eleito, prometeu dar respostas que tocassem na raiz do problema.

A movimentação da prefeitura para adiar e realizar um aumento da passagem do ônibus abaixo da inflação do último período, dentro de um quadro de pressão das empresas concessionárias, não atende os anseios criados com a derrota dos setores conservadores nas eleições em São Paulo.

A resolução da questão urbana exige medidas estruturais, como a efetivação de um modelo de desenvolvimento, que prescinda o estímulo à indústria automobilística, e a implementação do controle direto sobre as tarifas por meio da municipalização dos transportes. Com isso, se evita soluções paliativas como a subvenção das concessionárias, financiando setores cujo interesse em lucrar se choca com a possibilidade de um sistema de transporte que atenda as necessidades da população.

Por isso, os protestos realizados pelos jovens ganham importância, uma vez que representam um sintoma do problema e constituem uma força social que pode apontar e sustentar mudanças estruturais na organização territorial e na mobilidade urbana. Essas mobilizações são um instrumento de pressão sobre as autoridades, para sustentar um processo de negociação, especialmente com a prefeitura, que esperamos que possa render conquistas para a população e acumular forças para novas lutas que virão.

Nesse processo, a mídia burguesa e os setores conservadores colocam uma cortina de fumaça sobre as soluções estruturais para as quais apontam os protestos, com a execração pública dos atos realizados por uma minoria. Esse tipo de cobertura coloca luz sobre os vínculos dos meios de comunicação da burguesia com as empresas automobilísticas (interessadas em vender mais carros), com as empresas privadas concessionárias de transporte (que lucram com a chantagem sobre a prefeitura) e com a especulação imobiliária (contrária à reorganização territorial).

Assim, manifestamos nosso apoio aos protestos dos jovens em defesa do transporte público, dos quais queremos contribuir para garantir a massificação e manifestação organizada e pacífica, condenamos a ação violenta da Polícia Militar, cobramos a libertação dos presos políticos e rechaçamos o aumento das tarifas de ônibus, metrô e trem.

  • ABGLT- Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais
  • Consulta Popular
  • Fora do Eixo
  • JCUT- Juventude da Central Única dos Trabalhadores
  • JPT/SP- Juventude do Partido dos Trabalhadores da cidade de São Paulo
  • JSOL – Juventude Socialismo e Liberdade
  • JUNTOS!
  • Levante Popular da Juventude
  • MAB- Movimento dos Atingidos por Barragens
  • MST- Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra
  • PJ- Pastoral da Juventude
  • PJMP- Pastoral da Juventude do Meio Popular
  • Quilombo
  • REJU- Rede Ecumênica da Juventude
  • UBES- União Brasileira dos Estudantes Secundaristas
  • UJR- Partido Comunista Rebelião
  • UJS- União da Juventude Socialista
  • UNE- União Nacional dos Estudantes

*Organizações/entidades que quiserem informar que aderiram ao manifesto devem enviar e-mail para nacional@levante.org.br

** Quem quiser assinar o manifesto deve acessar a página http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2013N41381 (ou clique aqui)