Projetos de Leis para aumento de impostos em Ilhota foram aprovados com sucesso!

Câmara de vereadores de Ilhota em instalação de mais uma sessão extraordinária

Resultado da sessão extraordinária realizado no Câmara de Vereadores de Ilhota desta noite… todos os projetos de leis para aumento de impostos foram aprovados com sucesso.

Hoje, na boca da noite, houve mais uma série de pacote da maldade sendo deliberado em mais uma sessão extraordinária e todos aprovados com sucesso. Uma porrada de projetos polêmicos, aumento de impostos, sem debate, sem parecer jurídico, sem consulta da população, sem nada, tudo em favor dos interesses do chefe para aumentar a arrecadação e colocar o custo do progresso no lombo do povo que vai pagar mais uma vez a conta do seu sonho, mas na luxuria dos privilégios de seu governo e do secretariado ele não mexe. Quer aumentar a arrecadação, de o exemplo! Apague a luz como você disse lá um ano atrás, diminua a secretaria pra 5 como prometeu em campanha e por ai vai. Só assim, poderá pedir aumento das taxas/tarifas depois de consultar as pessoas é claro, em audiência. Enfim, até hoje, todos os projetos de extrema relevância foram votados de forma incomum, em extraordinária e de regime de urgência urgentíssima, e alguns já deram problemas e renderam terríveis dores de cabeça que estão medicando lá na promotoria pública em Gaspar. Pra quem disse que nunca mais iria fazer esse tipo de sessão pra votação a toque de caixa, acho que não cumpriu os acordos e mentiu mais uma vez. Sei que alguns #champs coxinhas lá da barroza estão com sede de ódio de mim agora, neste instante, mas os ignorantes pesam que tem as maiores picas da galáxia e imaginam que estão isentos das cobranças de impostos #SQN. Irão pagar assim como eu pago, se é que pagam, coisa de duvido muito! Mas, triste é saber que temos ainda muitos leões de chácara que estão sedentos por briga e defende cegamente o prefeito sonhador. Com esses, não tem debate, nem argumento, querem é porrada. Uma professora foi em até um de meus post publicado em meu perfil no Facebook e comentou uma asneira qualquer. Coitada! Ela é uma de minhas conhecidas e tenho respeito por ela e por sua família e continuarei tendo. Ela tem um negócio em Pedra de Amolar, especificamente para complementar renda, até por que, professor de carreira em Ilhota (como ela é), com tanto tempo de serviço, não ganha aquilo que deveria, uma pena. Mas ai faço uma pergunta a ela ou a qualquer outro comerciante que imagino que me lê nesse momento… você concorda com esse aumento de imposto proposto pelo prefeito em meio a uma suposta crise que o país está vivenciando no momento? É justo um negócio no interior da cidade pagar a mesma alíquota que um comerciante do mesmo segmento aqui no Centro? Pensem um pouquinho só! Você é a favor desse aumento exorbitante de imposto? Se você é contra, tarde demais pra chorar, pois os projetos foram aprovados e logo virarão Lei. Deixo aqui um salve para os vereadores Cidney BogaVereador Rogério Flor de Souza que foram a favor do povo pagador, não de promessa, mas de impostos, e votaram contra todos esses pacotes de medidas abusivas. Promessa quem faz é o prefeito, que como todo bom político, não cumpre. Enquanto o prefeito Dida Oliveira leva pra grupo a galera com macadame e calçamento fureca sem tubulação pluvial, na surdina ele corta investimento na Saúde, sangra a Educação e aumenta drasticamente os impostos municipais. Talvez seja por isso que ele é tão amado por todos, menos por mim que sou casado com a Rose.

Com alegria,
#DialisonCleberVitti

Anúncios

Afinal de contas, exite algum programa de moradia econômica na Prefeitura de Ilhota?

Casa da Cohab em Ilhota

Essa é uma pergunta que as vezes me tira o sono, mas eu não sei responder, até por que, inclusão social, políticas públicas não é pauta, não é agenda pública e não são discutidas pela pelos gestores que estão a frente da prefeitura de minha cidade. O senso de gestão pública adotado pelo atual prefeito é dos mais temeroso que já passou pela administração, retrocedendo o município para o início do ano 2000.

Mas, vamos ao assunto que é o mais importante neste post a ser debatido. Espero encontrar um abençoado para que possamos evidenciar o tema e afim de promover um fórum de discussão e aprimorar o conceito de inclusão. Sei como funciona a política na minha cidade e a diretrizes das secretarias. Estou entrando no assunto por motivos profissionais, até por que estamos estudando o tema, pois logo irei me tornar um profissional liberal do segmento da construção civil. Meus conhecimentos técnicos e políticos, podem nos habilitar a liderar o debate no município.

Então! Até o que tenho estudado, o programa de moradia econômica é um beneficio de construção, que deveria ser garantido por Lei Municipal (desconheço a sua existência e tenho que pesquisar sobre), em que a Prefeitura, através de uma secretaria ou departamento, auxilia os munícipes interessados em construir ou regularizar seus imóveis.

Pelos os conhecimentos adquiridos em estudo, os técnicos acompanhariam a obra desde a fundação até o acabamento e todos deverão ser habilitados pela respectiva entidade de classe, neste caso, o Conselho de Arquitetura e Urbanismo ou o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia e claro, desde que sejam agentes devidamente designados pela prefeitura e que sejam concursados, para evitar favorecimento.

Transcrevo aqui o que aprendi em sala de aula quanto a solicitação do interesse. O munícipe interessado, caso exista o programa, deverá se dirigir até o órgão  gerenciador da política, munido da cópia do documento do terreno (escritura ou contrato), identidade e IPTU, assim como, solicitar via do requerimento do benefício, sendo que nesta fase não haveria custo.

Após o requerimento, o pedido é analisado e os agentes de fiscalização da prefeitura vão até a área para verificar se ela está apta para implantação da residência. Para a obtenção do beneficio, o terreno deverá estar inserido nas leis municipais vigentes, seja pela construção nova a ser iniciada ou pela regularização da unidade já consolidada.

O beneficio de construção através da moradia econômica, isenta o munícipe do pagamento de ISS (Imposto Sobre Serviço), além de fornecer sem custos, a placa de identificação da obra com o devido registro do profissional, ou seja, o técnico responsável.

O custo do Programa de Moradia Econômica prevê (segundo estudos) pequenas taxas como: RRT (Registro de Responsabilidade Técnica), emissão de Projetos e a emissão do Certificado de Conclusão.

Agora, vamos aos debates.

Afinal de contas, o juiz Sérgio Moro é mesmo crente?

Juiz Sérgio Moro santo

De acordo com uma nota de esclarecimento da Primeira Igreja Batista de Curitiba, não! Conforme a nota publicada na página da igreja Batista no Facebook em 8 de março de 2016, informa que o juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol não são membros desta igreja, conforme mensagens falsas que circulam em redes sociais”. A nota ainda acrescente que “independente de igrejas e doutrinas, como cristãos sabemos que também é nosso papel interceder pelos líderes e autoridades do nosso país. ORE PELO BRASIL”.

Já a revista estadunidense Time publicou uma lista com os 100 cristãos mais influentes do mundo em 2016 e o magistrado Sérgio Moro é o único brasileiro na lista. O site CBN destacou quem são os cristãos com destaque neste relatório.

O único brasileiro na lista da Time, sendo o juiz que conduz as operações da “Lava Jato” e embora haja um boato na internet de que ele seja membro de uma igreja Batista (coisa que não se confirma segundo nota da igreja Batista), sua mãe afirma que ele é um católico praticante. Eu, particularmente, discordo dessa suposta lista e indicação  do magistrado como o maior cristão do Brasil #SQN. Numa página do Facebook, criada por esposa, foi revelado que ele precisou esconder seu perfil na rede social por causa da fama e não declara sua orientação religiosa. Se ele é crente, eu não sei, só sei que ele é maçom.

É isso! Crente ou não, devemos orar pro todos, principalmente por justiça e ela será feita por Ele no julgamento final, tribunal dos tempos e da condenação eterna.

Dia Nacional do Policial e Bombeiro Militar é comemorado pela primeira vez neste sábado, 24 de junho

Dia Nacional do Policial e Bombeiro Militar

O Dia Nacional do Policial e Bombeiro Militar será comemorado pela primeira vez neste sábado, 24 de junho. A data foi instituída esta semana por meio da Lei 13.449/2017, publicada no Diário Oficial na segunda-feira, 19. Diferente de outras datas comemorativas que são dedicadas também às corporações, como o dia 2 de julho – Dia do Bombeiro, este dia foi criado especialmente para homenagear as pessoas que escolheram estas carreiras e arriscam suas vidas pela sociedade.

“A ideia é valorizar o indivíduo, a pessoa física, enquanto trabalhador de segurança pública, de forma que encontre neste dia simbólico a referência para comemorar esta escolha e refletir sobre as necessidades e desafios profissionais”, explica o presidente da Associação de Praças de Santa Catarina (Aprasc), Edson Fortuna. A Aprasc luta todos os dias pelos direitos e por melhorias nas condições de trabalho destes profissionais e, a partir deste ano, além do Dia do Soldado, 25 de agosto, reconhece o dia 24 de junho como mais um dia importante para homenagear e reconhecer o trabalho dos policiais e bombeiros militares.

A lei foi criada por iniciativa do deputado federal Subtenente Gonzaga, de Minas Gerais. Na justificativa do projeto,  o parlamentar ressaltou que os policiais e bombeiros militares ainda não tinham uma data em que eram reconhecidos nacionalmente. “As instituições só existem porque em seu corpo estão pessoas físicas, abnegadas que doam suas vidas em prol da sociedade, sejam combatendo a criminalidade, como no caso os Policiais Militares, sejam salvando vidas através dos Corpos de Bombeiros Militares“, destacou Gonzaga.

Dia escolhido homenageia policial de Minas Gerais que morreu após ser alvejado em manifestação por melhores salários

A data escolhida remete ao dia 24 de junho de 1997, dia em que o cabo Valério dos Santos Oliveira foi atingido, aos 36 anos, por bala perdida durante um protesto da Polícia Militar por melhores condições de trabalho e de salário, em Belo Horizonte.

O militar morreu em decorrência do disparo. Com a morte do cabo, militares de outros estados do País se manifestaram e conseguiram estabelecer um canal de diálogo e negociação com os governos, conquistando melhores condições de trabalho para os policiais.

O cabo Valério dos Santos representa todos militares que lutam por direitos e melhores condições de trabalho. Em Santa Catarina, por exemplo, muitos praças e integrantes da Aprasc foram perseguidos, punidos e excluídos das corporações por conta do movimento de 2008, quando foi realizada a paralisação história no estado para reivindicar salários dignos para a categoria.

24 de junho: Dia Nacional do Policial e Bombeiro Militar

Parabéns a todos os bombeiros/as e policiais militares pelo seu dia! Seguimos juntos, por nenhum direito a menos!

Outras datas

  • Dia Estadual da Mulher Policial Militar: 10 de fevereiro
  • Dia do Policial Militar: 21 de abril
  • Dia do Soldado: 25 de agosto
  • Dia de Bombeiro: 2 de julho
Fonte: Aprasc
Aprasc

81% dos prefeitos de Santa Catarina propõem investir em tecnologia

Mapa do estado de Santa Catarina

Segurança pública é a área mais lembrada nos planos de governo, revela consulta da RCD, que em junho realiza, em parceria com a Prefeitura de Bombinhas, o 2º Congresso Catarinense de Cidades Digitais.

A maioria dos prefeitos eleitos em Santa Catarina já enxerga a necessidade de incluir a tecnologia como ferramenta para melhorar a gestão e o atendimento aos cidadãos. Pelo menos é o que mostra um levantamento feito pela Rede Cidade Digital (RCD), iniciativa de fomento às cidades inteligentes no país, que no próximo mês realiza, em conjunto com a Prefeitura de Bombinhas, o 2º Congresso Catarinense de Cidades Digitais.

Os dados mostram que 81% dos prefeitos do Estado citam em seus planos de governo, protocolados junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), propostas relacionadas a investimento em sistemas digitais. Ao todo, foram 813 propostas envolvendo o uso de tecnologia para melhorar algum setor da administração municipal, sendo a Segurança Pública a área mais lembrada, com 19,2% das propostas, seguida de Educação (18%) e informatização (13,3%).

Das 156 propostas relacionadas à Segurança, a maioria envolve ampliação e instalação de câmeras e videomonitoramento. Em relação ao tema Educação, foram 146 propostas ao todo, dentre elas estão a implantação e melhoria das salas de informática das escolas municipais, modernização da rede de ensino com sistemas digitais, introdução de equipamentos eletrônicos com viés pedagógico, fornecimento de rede Wi-Fi, entre outros.

A prefeita do município de Maravilha, Rosimar Maldaner, por exemplo, tem como proposta adequar os laboratórios de informática com acesso à internet de alta velocidade e disponibilizar softwares educativos na rede de ensino municipal. Já Eloi José Libano, prefeito do município de Caibi, aposta na implantação do projeto PROUCA (Programa Um computador por aluno). Em São Francisco do Sul, o prefeito Renato Lobo propôs informatizar a Secretaria de Educação e as unidades de ensino.

Resultado de imagem para cidade digital wifi

Ainda em relação ao tema educação, o plano de governo do atual prefeito de Porto União, Eliseu Mibach, cita a implantação de um ensino tecnológico, com laboratórios informatizados e o APRENDER PORTO UNIÃO, projeto para oferecer uma série de ferramentas a professores e alunos, incluindo um portal na internet e plantão tira dúvidas.

Na área de informatização, foram 108 propostas no Estado. “São ações para interligação de banco de dados, prestações de serviços municipais através de plataformas online, implantação de sistemas de gerenciamento de informações, entre outras”, destaca o diretor da RCD, José Marinho. “A consulta, cujos detalhes serão apresentados durante o 2º Congresso Catarinense de Cidades Digitais, reflete a demanda social e necessidade das Prefeituras em enxugar gastos e tornar o serviço público mais eficiente e acessível. O evento em Bombinhas será uma boa oportunidade para que prefeitos e gestores conheçam os caminhos para colocar em prática boa parte destas propostas”, completa o diretor da RCD.

Dos 294 municípios analisados no levantamento, 53 deles, ou seja, 18%, não fizeram referência à tecnologia em seus planos de governo. A Rede Cidade Digital não teve acesso aos planos de governo dos municípios de Sangão, Angelina e Painel.

Congresso Catarinense de Cidades Digitais

Gratuito para servidores públicos, é o maior evento voltado para pequenos e médios municípios e será realizado dias 22 e 23 de junho, em Bombinhas, reunindo prefeitos, gestores, vereadores, academia e empresários para tratar de inovações, modelos em andamento, tendências, soluções e as possibilidades de criação de cidades inteligentes e conectadas.

As inscrições podem ser feitas pelo redecidadedigital.com.br. A iniciativa é da RCD em parceria com a Prefeitura Municipal de Bombinhas.

O Congresso tem o patrocínio master da ENW e da GOVBR, ouro da Exati Tecnologia, prata da BRDE, e o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia Inovações e Comunicações, CIASC, UVESC, AMARP, AMAUC, AMEOSC, AMFRI, AMMVI, AMREC, AMUNESC, AMURES, FACISC, ABEPREST, ABRANET e AMVALI.

Serviço

Quem sou eu em Cristo?

Eu fui comprado

De acordo com 2 Coríntios 5:17: “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; {criatura; ou criação} as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas”. Há duas palavras gregas que são traduzidas “nova” na Bíblia. A primeira, neos, refere-se a algo que acabou de ser feito, mas há muitos outros em existência exatamente iguais. A palavra traduzida nova nesse versículo é a palavra kainos, a qual significa algo que acabou de ser criado e que não existe nada igual. Em Cristo, somos uma criatura completamente nova, assim como Deus criou os céus e a terra originalmente – Ele os criou do nada, e assim o faz conosco. Ele não simplesmente purifica o nosso velho ser; Ele cria um ser completamente novo, o qual passa a fazer parte de Cristo. Quando estamos em Cristo, somos “co-participantes da natureza divina” (2 Pedro 1:4). Deus, na pessoa do Seu Espírito Santo, passa a habitar em nossos corações. Estamos em Cristo e Ele em nós.

Quando estamos em Cristo e Ele em nós, somos regenerados, renovados e nascidos de novo, e essa nova criação se focaliza no espiritual, enquanto que a velha natureza se focaliza no carnal. A nova natureza está em comunhão com Deus, obediente à Sua vontade e dedicada ao Seu serviço. Essas são coisas que a velha natureza é incapaz de fazer ou de desejar fazer. A velha natureza é morta às coisas do Espírito e não pode se renovar. Na velha natureza, somos “mortos nos delitos e pecados” (Efésios 2:1), e ela só pode se tornar viva através de uma ressuscitação supernatural que acontece quando vimos a Cristo e somos habitados por Ele. Ele nos dá uma natureza nova e santa e uma vida incorruptível. Nossa velha vida, anteriormente morta para Deus por causa do pecado, está enterrada, e somos ressuscitados para que “andemos nós em novidade de vida” com Ele (Romanos 6:4).

Em Cristo, somos unidos a Ele e não mais escravos ao pecado (Romanos 6:5-6); somos vivos em Cristo (Efésios 2:5); conformados à Sua imagem (Romanos 8:29); livres da condenação e andamos não segundo a carne, mas segundo o Espírito (Romanos 8:1), somos também parte do corpo de Cristo com outros crentes (Romanos 12:5). O crente agora possui um novo coração (Ezequiel 11:19) e tem sido abençoado “com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo”(Efésios 1:3).

Podemos nos perguntar por que tão frequentemente não andamos da maneira que acabamos de descrever, apesar de termos entregado nossas vidas a Cristo e de termos certeza da salvação. Isso é porque nossas novas naturezas estão habitando nos velhos corpos carnais e eles estão em guerra um com o outro. A velha natureza está morta, mas a nova natureza ainda tem que batalhar com a velha “tenda” onde habita. O mal e o pecado ainda estão presentes, mas o crente agora os enxerga de uma nova perspectiva, e eles não mais o controla como antes. Em Cristo, podemos agora resistir o pecado, enquanto que a velha natureza não podia fazer isso. Agora temos a escolha de alimentar a nova natureza através da Palavra, oração e obediência, ou de alimentar a carne quando negligenciamos essas coisas e praticamos o pecado.

Quando estamos em Cristo, “somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou” (Romanos 8:37) e podemos nos regozijar em nosso Salvador, o qual torna todas as coisas possíveis! Em Cristo somos amados, perdoados e temos a promessa de salvação. Em Cristo somos adotados, justificados, redimidos, reconciliados e escolhidos. Em Cristo somos vitoriosos, somos cheios de alegria e paz, e temos o verdadeiro sentido para a vida. Que maravilhoso Salvador é Cristo!

Got Questions
Questões Bíblicas Respondidas

O amor fala mais alto

Atentado do Riocentro completa hoje 36 anos

Um frustrado ataque a bomba durante um show do Dia do Trabalhador. A música de hoje é a que tocava no momento da explosão.

O atentado do Riocentro foi um frustrado ataque a bomba na noite de 30 de abril de 1981, durante um show do Dia do Trabalhador. As bombas, plantadas por um sargento e um capitão, teriam sido uma tentativa de setores mais radicais do governo de convencer os moderados a interromper a abertura política. Em quatro anos a democracia seria restabelecida no país. O Banquete dos Signos, de Zé Ramalho, com Elba Ramalho é a música do dia.

Dez filmes para entrar no clima da Greve Geral do dia 28 de abril

O Dia do Trabalhador no Cinema

Antecipando-se à paralisação geral do próximo dia 28, selecionamos 10 obras cinematográficas sobre mobilizações de trabalhadores e trabalhadoras pelo mundo.

Nesta sexta-feira, dia 28 de abril, diversas categorias profissionais devem paralisar suas atividades contra as reformas da Previdência e a trabalhista, aderindo ao chamado das centrais sindicais para uma greve geral.

Aproveitando a data, o Brasil de Fato listou filmes que abordam, de forma ficcional ou não, mobilizações de trabalhadores e trabalhadoras pelo mundo. Confira abaixo.

ABC da Greve – 1990
Diretor: Leon Hirzman
Documentário, dirigido por um dos expoentes do Cinema Novo brasileiro e também responsável por Eles Não Usam Black Tie, mostra a articulação de 150 mil operários do ABC paulista no ano de 1979, reivindicando melhores salários e enfrentando a Ditadura Militar, que limitava a atuação sindical.

Tempos modernos [Modern Times] – 1936
Diretor: Charles Chaplin
Clássico do cinema-mudo, aborda com humor as condições indignas às quais o operariado fabril passa a ser submetido com o modelo industrial fordista.

 

César Chavez – 2014
Diretor: Diego Luna
Cinebiografia do líder sindical César Chavez – cofundador da União dos Trabalhadores Rurais dos EUA – mostrando as campanhas pelo reconhecimento dos direitos da categoria e a reação, muitas vezes violentas, de seus patrões.

Revolução em Danegham [Made in Danegham] – 2010
Diretor: Nigel Cole
Baseado na greve de 1968 na fábrica da Ford em Danegham, protagonizada por mulheres em busca de melhores salários e contra a discriminação sexual, tendo de enfrentar, além dos patrões, resistência dentro de suas próprias casas.

Sal da Terra [Salt of The Earth] – 1954
Diretor: Hebert J. Biberman
Inspirada na longa greve de 1951 contra a Empire Zinc Company, no Novo México. Trabalhadores da mineração e seus familiares são responsáveis pela atuação no filme.

A Classe Operária vai ao Paraíso [La classe operaia va in paradiso] – 1971
Diretor: Elio Petri
Um dos maiores nomes do cinema político italiano, Petri conta a história de um operário que sofre um acidente de trabalho na fábrica.

Cabra Marcado para Morrer – 1984
Diretor: Eduardo Coutinho
Considerado por muito o melhor filme documental brasileiro, narra a vida do líder camponês João Pedro Teixeira, assassinado em 1962, abordando a história das Ligas Camponesas.

 

A Greve [Stachka] – 1925
Diretor: Serguei Einsenstein
Outro clássico do cinema-mudo, a produção de um dos maiores diretores soviéticos retrata a vida em uma fábrica na Rússia pré-revolução de 1917. Comparando a situação dos operários a animais, o filme indica a importância da solidariedade sobre o individualismo.

 

Germinal – 1993
Diretor: Claude Berrri
Baseada no livro de Émile Zola, descreve as condições dos trabalhadores franceses no século 19, abordando uma greve de mineiros em 1860.

 

Orgulho e Esperança [Pride] – 2014
Diretor: Matthew Warchus
Comédia dramática baseada em fatos reais, conta a história de um grupo de gays e lésbicas que se organiza em uma campanha de apoio financeiro às famílias dos trabalhadores da mineração do Reino Unido, que entram em greve em 1984 e sofrem uma brutal repressão do governo Margaret Tatcher.

Safra recorde de mel em Santa Catarina

Produção de mel em Santa Catarina

Até o final abril Santa Catarina terá colhido mais de 7,5 mil toneladas de mel, uma safra recorde no território catarinense. A produção ficou em 25 quilos por colmeia, superior à média dos últimos anos, que foi de 20,42 quilos. No Brasil essa média fica em 10 quilos por colmeia. Há cinco anos, a média catarinense era de 13 quilos por colmeia.

O acompanhamento mais frequente da Epagri, que triplicou seus atendimentos a apicultores nos últimos três anos, resultou em melhorias no manejo e adoção de novas tecnologias pelo produtor. Soma-se a isso as condições climáticas adequadas e o capricho e empenho dos apicultores para se chegar ao aumento de 20% na produtividade por colmeia verificado nesta safra.

A safra do mel acontece entre agosto e janeiro, meses em que é colhida 70% da produção. O restante é coletado entre fevereiro e abril, quando acontece a safrinha.

Apesar da grande produção, o preço pago ao apicultor catarinense se mantém em alta. O mercado está pagando entre R$ 12,00 e R$ 13,00 o quilo do mel no atacado, tanto para o mercado interno quanto para exportação. Esse valor é o dobro do pago pelo mel da Argentina e do Uruguai, por exemplo.

“Essa grande valorização é resultado da qualidade do nosso mel, produzido sem o uso de químicos, diferente de outros países”, explica Ivanir Cella, coordenador de apicultura da Epagri. Segundo ele, é o emprego de manejo adequado e de tecnologias nos apiários que permite a produção do mel em grande escala sem uso de aditivos químicos.

Graças à alta qualidade do mel produzido, Santa Catarina passou a ocupar nessa safra a posição de maior exportador do Brasil e se mantém em terceiro no ranking nacional de produtores. Nosso Estado também é o líder nacional em produção por quilômetro quadrado, com 62,85kg/ km²/ano, enquanto que no restante do território nacional essa média é inferior a 5kg/ km²/ano.

Metade do mel catarinense é exportada e 42% do total produzido tem certificação orgânica. Esse alto nível, somado ao aroma e ao sabor proporcionados pela diversidade da flora catarinense, deu ao mel barriga-verde o reconhecimento como um dos melhores do mundo, tendo recebido vários prêmios internacionais nos últimos anos.

Para além da produção em expansão, o grande valor da apicultura catarinense para a economia do Estado se concentra no trabalho de polinização das abelhas, que tem impacto no ganho de produtividade da maçã, pera, ameixa e outras culturas. São cerca de 315 mil colmeias existentes no território catarinense, 45 mil delas alugadas para polinizar macieiras.

O presidente da Confederação Brasileira de Apicultura, José Soares de Aragão Brito, lembra que o segmento tem perspectivas promissoras no Brasil, já que nos próximos dez anos o mercado mundial deve aumentar sua demanda de mel em 170 mil toneladas. “O Brasil só atinge 10% do seu potencial produtivo”, calcula.

Ele lembra ainda que o próprio consumidor brasileiro está despertando para o consumo do produto. Cada brasileiro consome em média 120 gramas de mel por ano. Na Suíça, por exemplo, essa média é de 2 quilos por pessoa.

Para Aragão, Santa Catarina se diferencia dos outros Estados na apicultura principalmente pelo envolvimento dos entes públicos. “A Epagri é um exemplo nacional de assistência técnica na área. Trata-se de uma questão de gestão pública”, afirma o presidente da Confederação.

Santa Catarina sedia também as duas maiores empresas exportadora de mel do Brasil, entre elas a Prodapys, que fica em Araranguá e prepara para abrir ainda neste ano a maior unidade industrial da América Latina voltada para exportação de mel. Célio H. M. Silva, proprietário da empresa, reclama maior atenção para o setor. “É fundamental que sociedade perceba a importância estratégica da apicultura não só na economia, mas também na subsistência da vida humana”, destaca o empresário.

Mais informações com Ivanir Cella, coordenador de apicultura da Epagri, pelo fone (48) 98801-8269.

Votação da emenda das Diretas Já completa hoje 33 anos

Em 1984 houve a votação de uma proposta de emenda à Constituição para a realização de eleições diretas para presidente da República.

No início dos anos 80 uma onda cívica tomou conta do Brasil com a campanha das Diretas Já. As praças da Sé e da Candelária, em São Paulo e no Rio de Janeiro, receberam o maior público até hoje. O ápice ocorreu no dia 25 de abril, com a derrota da Emenda Dante de Oliveira. Por 22 votos não foi alcançado o quórum mínimo que garantiria a vitória. Maior Abandonado, de Cazuza e Roberto Frejat, com Barão Vermelho é a balada do dia.

Secretaria de Finanças tem horário estendido durante Congresso dos Gideões

Comércio no Gideões Missionários da Última Hora

Funcionamento será das 9 às 21 horas e visa atender ao aumento nas solicitações de alvarás.

A partir do dia 22 de abril, sábado, a Secretaria de Finanças começa a atender diariamente, inclusive nos fins de semana, das 9 às 21 horas, até o dia 1º de maio. O objetivo é proporcionar atendimento aos pedidos de alvarás temporários – para comércio em pontos fixos e ambulantes, áreas de estacionamento e veículos utilitários – que aumenta significativamente durante o Congresso dos Gideões Missionários da Última Hora (GMUH). O secretário de Finanças, Fernando Garcia, salienta que o atendimento para outras finalidades segue em horário normal: de segunda a sexta-feira, das 12 às 18 horas.

Quem vai trabalhar em ponto comercial temporário pode solicitar a emissão da guia de recolhimento do imposto mediante autorização do proprietário do imóvel. O valor varia de acordo com a metragem do local, partindo de R$ 1.050 para as áreas com até 20m². Interessados em alvará de estacionamento também deverão apresentar essa autorização.

Para os ambulantes, o valor do alvará é de R$ 450 – o documento é emitido em tamanho menor a fim de facilitar a fiscalização, já que é usado como identificação. Durante todo o congresso, 50 fiscais irão conferir a regulamentação dos comerciantes. Transportes utilitários também devem solicitar alvará para o período.

O secretário Fernando Garcia pede que os solicitantes fiquem atentos ao comunicado presente no verso de todos os alvarás: “Estamos comunicando que novas regras serão aplicadas, no que diz respeito à distribuição dos pontos de comércio temporário, a partir do ano que vem. Em 2018, os interessados devem buscar informação junto à Secretaria para se adequar aos novos termos”, explica.

Quaisquer dúvidas podem ser tiradas junto à Secretaria de Finanças, pessoalmente ou no telefone (47) 3365 9550. Nos dias do congresso, o acesso ao prédio da Prefeitura das 9 às 12 horas e após as 18 horas será pela porta lateral, para tratar de assuntos relacionados ao evento.

Prefeitura de Camboriú

Com apoio do Banco Mundial, guaranis de SC voltam a cultivar os próprios alimentos

Guaranis da terra Tekoa Marangatu

Houve um tempo em que os guaranis da terra Tekoa Marangatu, no sul do Brasil, caçavam e coletavam para se alimentar. Hoje, a dieta é completamente diferente. A comida é comprada pelos indígenas ou doada pela população da cidade. Saíram as frutas, verduras, legumes e carnes; entraram os enlatados, biscoitos e outros produtos industrializados.

A mudança na alimentação cobrou seu preço. Faltam vitaminas e proteína animal. Não há estatísticas, mas em conversas com o cacique e com os extensionistas rurais e sociais que trabalham na área, vêm à tona casos de colesterol alto, sobrepeso, diabetes, problemas dentários e doenças de pele.

“Depois de termos contato com os não indígenas, passamos a gostar dos alimentos produzidos por eles”, reconhece o líder guarani Ricardo Benete. “Mas queremos voltar a ser como antigamente, comer o que plantamos”, continua o cacique que mostra, orgulhoso, os novos pomares, um pequeno apiário e as hortas que aos poucos estão surgindo na Tekoa Marangatu.

O mais novo empreendimento do grupo é uma padaria onde os guaranis assarão pães e bolos saudáveis usando as frutas, verduras e raízes — como mandioca e batata-doce — disponíveis no local. A ideia é que os alimentos sustentem inicialmente o consumo das 45 famílias vivendo na aldeia, incluindo a alimentação nas casas e as refeições da merenda da escola indígena.

No futuro, eles também planejam vender os produtos para obter uma nova fonte de renda. Atualmente, a maior parte dos recursos vêm da venda de artesanato nas cidades próximas, mas os lucros não suprem as necessidades da comunidade.

Essa história evidencia os estados de nutrição e saúde dos indígenas depois do contato com o homem branco e os impactos positivos que um projeto pode ter se for algo nascido dentro do grupo. A padaria foi construída com apoio do Santa Catarina Rural, um programa do governo do estado financiado pelo Banco Mundial. A iniciativa beneficia 40 mil pequenos agricultores, dos quais mais de 1,2 mil famílias são de indígenas.

“Foi importante incluir as comunidades indígenas rurais nesse trabalho por duas razões: porque elas produzem alimentos e porque o atendimento a elas passou a ser feito de forma integrada pelo governo”, explica Diego Arias, gerente do programa no Banco Mundial.

O programa acumula outros resultados positivos, como os obtidos na terra Xapecó, onde a etnia kaingang é predominante entre as 1.350 famílias. Desde 2008, os indígenas vêm se especializando na criação de gado leiteiro. Setenta e nove famílias estão envolvidas no setor e conseguiram vencer os preconceitos do mercado, segundo relatório do workshop Povos Indígenas e Projetos Produtivos Rurais na América Latina.

Equilíbrio entre subsistência e participação em novos mercados

O cacique Ricardo Benete mostra o apiário da terra guarani. Foto: Banco Mundial/Mariana K. CerattiO estudo ressalta a experiência que países como Brasil, Paraguai e Panamá têm nesse campo e traz aprendizados importantes para ações no resto da América Latina.

Uma das lições aprendidas é a de que nem todas as comunidades buscam o acesso a mercados. Mesmo aquelas que querem conquistar novas frentes de venda têm como prioridade a segurança alimentar de seus grupos. Por isso, é importante apoiar inicialmente a produção de cultivos tradicionais e sementes crioulas, em vez de alimentos vindos de fora. Apenas posteriormente, programas devem tentar combinar a produção convencional com itens voltados para o lucro.

Outra recomendação é diversificar o plantio para se adaptar às mudanças climáticas e diminuir a vulnerabilidade às flutuações de preços. Multiplicar opções de produção e consumo é também um meio de contornar o esgotamento dos recursos naturais.

É exatamente o que vem sendo feito na Tekoa Marangatu. Além dos pomares, hortas e do apiário, os indígenas vêm trabalhando em um pequeno orquidário e na padaria. Também sonham em começar a criar galinhas poedeiras, cujos ovos serviriam tanto para alimentar a comunidade quanto para vender.

O relatório do Banco Mundial cita ainda a necessidade de simplificar os procedimentos burocráticos dos projetos e criar redes de parceiros, como universidades, a exemplo do que já foi feito em estados como São Paulo. Finalmente, é importante levar em conta que o amadurecimento das iniciativas pode tomar mais tempo que o habitual. “Em algumas comunidades, o acesso ao mercado levou pelo menos seis anos de trabalho”, informa o documento.

Pode demorar, mas o esforço compensa. O estudo menciona experiências internacionais que apontam que a qualidade dos produtos feitos pelos indígenas é melhor, o que beneficia tanto as comunidades quanto os potenciais consumidores.

A perspectiva de produzir alimentos saborosos e saudáveis é algo que anima o cacique Ricardo Benete. Para ele, é uma forma de melhorar a saúde dos guaranis e começar a superar as dificuldades do grupo: “Espero que a gente tenha ainda mais oportunidades como essa”.

ONU Brasil

Dezesseis anos sem Joey Ramone

O Ramone favorito da maioria dos fãs morreu devido a um linfoma, com que convivia havia quatro anos.

Ele era o Ramone favorito da maioria dos fãs. E morreu em 15 de abril de 2001, devido a um linfoma, com que convivia havia quatro anos. Estava internado no Presbyterian Hospital de Nova Iorque. Em 2002 foi lançado um disco póstumo de um dos pais do punk rock. A sonzeira do dia é What A Wonderful World, dos Ramones.

Programa de moradia econômica

Programa moradia econômica

Esse é um serviço que deveria estar à disposição da comunidade, mas que muita gente não procura. Não sei se a prefeitura de Ilhota possui esse Programa Moradia Econômica, em que disponibilizaria às pessoas que não possuem condições socioeconômica, projeto com isenção de taxas para a construção regular de moradias. Tenho que pesquisar e comentar a respeito.

O programa possui um convênio com o CREA – Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia – para o acompanhamento de um profissional na obra com custos reduzidos. Nesse sentido, compartilho algumas informações referentes do programa exigidas pelo CREA-SC

  • Descrição
    É a forma pela qual os órgãos oficiais como a Caixa Econômica Federal, Prefeituras Municipais ou Entidades de Classe profissional registram um Programa de Moradia Econômica ou incluem ART(S) em um Programa já registrado.
  • Legislação
    Lei n.º 5.194/66 e 6.496/77 do CONFEA, e
    Ato Normativo Nº 05/13 do CREA-SC.
  • Quem pode requerer
    Órgãos Oficiais e Entidades de Classe Profissional.
  • Onde requerer
    Nas Unidades de Atendimento do CREA/SC.
  • Documentos necessários
    Clique aqui para verificar os documentos necessários, que também estão disponíveis nas Unidades de Atendimento do CREA/SC.
  • Para registro de programa de moradia econômica, clique aqui.
    • Requerimento padrão devidamente preenchido e assinado;
    • Documento oficial que regulamenta o programa;
    • Projeto padrão (da idealização da edificação, estrutural, elétrico e hidro-sanitário) com todas as especificações técnicas que o caracteriza (incluindo o memorial descritivo);
    • Planilha Orçamentária;
    • ART(s) do(s) profissional(is) que tenha(m) constituido o projeto(s)  em 4(quatro) vias devidamente preenchidas e assinadas originalmente (codificar todos os projetos apresentados). Acesse o arquivo em Word, ou PDF.
      Observações importantes:
    • Para cada projeto solicitado deve ser apresentado memorial descritivo e ART anotando inclusive os complementares (não pode ser anotada execução);
    • Como trata-se de obras para fins de programas sociais, dependendo do material a ser utilizado (alvenaria, madeira ou materiais mistos) existem códigos de classificações especificas para anotação do projeto da edificação referente programas sociais;
    • Para mais de um projeto a ser anotado, deverá ser apresentada toda a documentação para cada projeto, com exceção do requerimento  que pode ser utilizado o mesmo;
    • Será aprovada uma única Moradia Econômica em cada terreno, a não ser que a legislação municipal específica permita a construção de mais de uma unidade habitacional sobre o mesmo terreno, nesta situação deverá ser apresentado também documento oficial do órgão que autorizou.
    • O enquadramento deverá atender as seguintes exigências:
      a) Ser de 1 (um) pavimento;
      b) Ser de alvenaria, com área construída final de até 70m2 (setenta metros quadrados) e, ou de madeira, ter área construída final de até 80m2 (oitenta metros quadrados);
      c) Ser isolada e não constituir parte de conjunto habitacional vertical.
  • Para inclusão de ART´s em programa já registrado, clique aqui.
    • Requerimento padrão devidamente preenchido e assinado;
    • Projeto padrão (da idealização da edificação, estrutural, elétrico e hidro-sanitário) com todas as especificações técnicas que o caracteriza (incluindo o memorial descritivo);
    • Planilha Orçamentária;
    • ART(s) do(s) profissional(is) que tenha(m) constituido o projeto(s)  em 4(quatro) vias devidamente preenchidas e assinadas originalmente (codificar todos os projetos apresentados). Acesse o arquivo em Word, ou PDF.
      Obsevações importantes:
    • Para cada projeto solicitado deve ser apresentado memorial descritivo e ART anotando inclusive os complementares (não pode ser anotada execução);
    • Como trata-se de obras para fins de programas sociais, dependendo do material a ser utilizado (alvenaria, madeira ou materiais mistos) existem códigos de classificações especificas para anotação do projeto da edficação referente programas sociais;
    • Para mais de um projeto a ser anotado, deverá ser apresentada toda a documentação para cada projeto, com exceção do requerimento  que pode ser utilizado o mesmo;
    • Será aprovada uma única Moradia Econômica em cada terreno, a não ser que a legislação municipal específica permita a construção de mais de uma unidade habitacional sobre o mesmo terreno, nesta situação deverá ser apresentado também documento oficial do órgão que autorizou.
    • O enquadramento deverá atender as seguintes exigências:
      a) Ser de 1 (um) pavimento;
      b) Ser de alvenaria, com área construída final de até 70m2 (setenta metros quadrados) e, ou de madeira, ter área construída final de até 80m2 (oitenta metros quadrados);
      c) Ser isolada e não constituir parte de conjunto habitacional vertical.
  • Taxas
    Para registrar o programa de moradia econômica ou incluir novas ARTs no programa não há taxa.
    As taxas da ART de projetos e execução de edificações econômicas cujas ARTs de projetos tenham sido previamente aprovadas em Programa de Moradia Econômica registrado no Crea/SC, serão estabelecidas conforme tabela, após o deferimento do registro do programa de moradia econômica junto a Câmara.
  • Prazo
    Em média 30 (trinta) dias.

CREA-SC
Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Santa Catarina

CREA-SC

Ser honesto é item de serie e não opcional

Honestidade

Compartilho em meu blog um artigo que foi publicado no Facebook de autoria do Gilberto de Souza. A postagem foi uma resposta a uma certa pessoal que me recuso a falar e compartilhar o linque. O texto abaixo é de extrema responsabilidade do autor, ao que me encaminho via e-mail. Meu objetivo com isso é apenas eternizar o debate, já que na rede social da moda é algo momentâneo. Vamos lá!

E quanto a trabalhar desde cedo também não foi unicamente prerrogativa sua. Sempre trabalhei e com certeza comecei bem mais cedo que você. Não comecei a trabalhar em escritório como hoje, carpi, fiz diversos serviços e trabalhei por 6 anos na fabrica de carrocerias Quintino, como muitas pessoas deste município. Quanto a completar o mandato ou não, o que muda na vida da pessoa? O fiz com um único intuito de ajudar os outros e você levou sorte de eu ter renunciado, pois com certeza você não teria feito o que fez na câmara de vereadores depois que se elegeu, inclusive deu porrada encima da mesa, coisa que com certeza você não iria fazer até porque você é prefeito somente depois do dia 31/12/2016. Por último, e não menos importante, pelo menos não, sou falacioso ao ponto do que você, o Betinho ex-prefeito e o Toninho Russi fizeram em uma gravação com mais de 46 minutos, onde falam quase que exclusivamente de mim, e a dita gravação, que está nas mão da promotora. Vocês terão que fazer as provas necessárias da conversa. Quanto ao seu mandato de vice-prefeito e candidato a prefeito derrotado (como diz você), tive participação sim nas duas eleições, inclusive quando você foi “derrotado”, foi eu quem levou seu filho para casa, peguei ele ali no morro da Igreja e o levei até sua casa, estava desatinado, mas sempre sou parceiro e sou fiel ao meus. Não fico pulando de galho em galho. Inclusive depois que você foi “derrotado”, talvez você se lembre da reunião que fizemos lá na associação dos servidores. Na oportunidade, assumi muitas coisas da campanha ainda. Talvez você tenha memória curta e já que talvez você não saiba, “mas não se mede o individuo pelos tombos ou “derrota” como queira e sim pelas vezes que ele se levanta, ou “vitória””.
Gilberto de Souza

É isso! Se não entendeu, participe ativamente da política e fique atentos aos debates nas mídias sociais.