O que e como serei quando envelhecer


Como serei quando envelhecer

Na década de 60, os Beatles lançaram a música When I’m 64 – Quando eu tiver 64 anos de idade, em tradução livre -, com a letra escrita do ponto de vista de um jovem para a sua amada, falando dos seus planos de envelhecer com ela e também sobre saber se o amor verdadeiro ainda estaria ao seu lado quando ele estivesse mais velho – depois de ter perdido seus cabelos e não ter mais ousadia a não ser para tricotar um suéter.

Pesquisadores da Universidade de Michigan, nos EUA, decidiram fazer uma série de testes, questionários e experimentos com voluntários sobre o assunto. A conclusão geral é que a resposta para as questões do jovem apaixonado vão depender inteiramente dele, já que sua saúde e a saúde da sua amada podem ser ditadas pelas percepções do próprio envelhecimento.

“Crenças sobre o próprio envelhecimento são compartilhadas em casais, e essas crenças, além das convicções individuais, servem como previsões do futuro da saúde. Experiências individuais, tanto dos maridos quanto das esposas, em relação a atividades físicas e a doenças, são importantes para as crenças compartilhadas no presente e no futuro da saúde funcional,” detalhou a professora Shannon Mejia.

Em outras palavras, casais que tendem a ver o envelhecimento negativamente tendem a se tornar menos saudáveis e menos ativos do que casais que veem o envelhecimento positivamente – outros estudos já haviam mostrado que um conceito negativo sobre o envelhecimento piora a memória e a audição.

Cuidar da saúde e do envelhecimento

Como serei quando envelhecer

O assunto também foi abordado do ponto de vista ativo, e o que se verificou é que a autopercepção sobre o envelhecimento afeta se a pessoa cuida ou não da saúde em tempo hábil. Quanto mais negativamente uma pessoa visualiza seu envelhecimento, maior a chance de ela atrasar a busca por cuidados com a saúde e encontrar barreiras para procurar esses cuidados.

Esta associação entre autocontrole negativo do envelhecimento e atraso para cuidar da saúde persistiu mesmo após terem sido ponderados os fatores mais comuns para o retardamento dos cuidados com a saúde, como nível socioeconômico baixo, falta de seguro saúde e condições crônicas de saúde.

“Enquanto muitos estudos se concentram nos obstáculos financeiros e estruturais para cuidar da saúde, também é importante considerar como fatores psicossociais, emocionais e cognitivos estão afetando as decisões dos idosos na hora de buscar cuidados médicos,” disse a pesquisadora Jennifer Sun.

Outras conclusões dos estudos mostraram que as pessoas que experimentam a discriminação etária se sentem menos positivas sobre o seu próprio envelhecimento. E, conforme as pessoas envelhecem, sua tendência explícita em falar sobre as pessoas mais velhas melhora à medida que envelhecem, mas sua tendência implícita – como se sentem internamente sobre os companheiros mais velhos – se tornava mais negativa à medida que envelheciam.

Diário da Saúde

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s