Detentos do complexo de São Pedro de Alcântara se formam como eletricistas


Detentos do complexo de São Pedro de Alcântara se formam como eletricistas, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota,

O Complexo Penitenciário do Estado (Cope), em São Pedro de Alcântara, realizou na manhã desta quinta-feira, 24, a cerimônia de formatura de 31 reeducandos  no curso de Eletricista Instalador Predial.

“Estamos investindo fortemente em duas ações, trabalho e educação, com o objetivo de reinserir o reeducando na sociedade completamente ressocializado”, destacou o secretário de Estado da Justiça e Cidadania (SJC), Sady Beck Junior. “A educação pode ser a diferença e estes formandos aqui hoje estão dando este exemplo”, complementou o juiz-corregedor do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC), Alexandre Takaschima.

O curso, com duração de quatro meses (total de 220 horas/aula), foi ministrado por profissionais do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), através do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Os 31 alunos receberam, ao lado de seus familiares, o Certificado de Formação reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC).

O aluno Rafael Almeida Nascimento discursou em nome dos formandos e elogiou o entusiasmo e a dedicação dos professores do Senai. Rafael é dos mais de 380 detentos catarinenses que se qualificaram profissionalmente no último ano, dentro das unidades prisionais do Estado, por meio do Pronatec.

O diretor do Complexo Penitenciário de São Pedro de Alcântara, Edemir Alexandre Camargo Neto, fez um discurso breve mas muito emocionado. “O resultado de ações como estas, de incentivo à qualificação profissional, é fruto de um trabalho em equipe composta por servidores e agentes penitenciários comprometidos e que trabalham diariamente para melhorar cada vez mais”, ressaltou.

De acordo com o gerente de Atividades Laborais, João Batista Saturnino, a unidade de São Pedro tem atualmente quatro oficinas de trabalho com 230 detentos em linhas de produção, de um total de 1.200. Estão instaladas dentro da unidade as empresas Intelbrás (telefonia), NautCar (barcos), Toco Design e LJJunkes (marcenaria).

No final da formatura, todos foram convidados para participar de um café preparado por reeducandos formados no curso técnico de Panificação. “Estou aqui há sete anos e pela primeira vez tive a oportunidade de fazer uma capacitação. Hoje produzo pães, bolos e salgadinhos”, conta orgulhoso o detento Bernardo Gerônimo que conclui a pena em menos de um ano.

Também participaram da cerimônia o representante do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Paulo Eduardo Sorci, que está em Santa Catarina para participar de um mutirão carcerário,  o juiz auxiliar da presidência do TJ, Vitoraldo Bridi, a Gerente de Apoio Psiquiátrico do Deap (Departamento de Administração Prisional), Juliana Coelho de Campos, e o gerente de educação do Senai de São José e Palhoça, Ricardo Anzolin.

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s