Além do salário, deputados têm verba extra de até R$ 34,2 mil para aluguel, viagem de avião e celular


Deputado Tiririca

Você sabe quanto ganha um deputado federal? Você sabia que eles, assim como os senadores, têm direito à “gorda” cota parlamentar mensal? Nas próximas fotos, você vai descobrir a quanto cada um tem direito e como eles gastam a grana.

O salário máximo que um deputado federal pode ganhar por mês é de R$ 26,7 mil.  Caso os deputados faltem às sessões deliberativas do Plenário, sem nenhuma justificativa plausível — casos de doença comprovada por atestado de junta médica oficial, licença maternidade, licença paternidade e acidente —, pode ocorrer um desconto de cerca de R$ 800 por dia.

A cota parlamentar (“cotão”) é uma ajuda de custo para despesas como transporte, telefonia e alimentação. O valor varia acordo com o Estado que o deputado representa. Para quem é do Roraima, por exemplo, a cota parlamentar chega a R$ 34,2 mil por mês.

Na sequência, você vai saber qual é o gasto por mês do deputado Tiririca (PR-SP).

Você já ouviu falar de Francisco Everardo Oliveira Silva? Talvez você não ligue o nome à pessoa, mas estamos falando de Tiririca, o humorista da televisão que virou parlamentar. O palhaço Tiririca foi eleito deputado federal com mais de 1,3 milhão de votos em 2010. Tiririca é do PR (Partido da Republica) e representa São Paulo. Sua cota parlamentar é de R$ 27,7 mil por mês, mas seu gasto no mês de setembro foi um terço disso: R$ 9.512. A maior parcela da cota parlamentar foi para alugar veículos. No mês passado, Tiririca gastou  R$ 4.693 só com esse serviço.

Conhecido em todo o País, o deputado federal Romário — o “Baixinho”, como era chamado quando jogava futebol — ficou conhecido mundialmente pelo seu futebol, mas hoje ele não usa mais chuteiras. Romário é adepto do terno e gravata e frequenta a Câmara dos Deputados. A cota parlamentar de Romário é de R$ 26.797,65 porque ele representa o Rio de Janeiro. Mas sua despesa no mês de setembro foi de R$ 12,7 mil, sendo quase R$ 7 mil em manutenção para o seu escritório. Outros R$ 3.300 serviram para fazer propaganda da atividade parlamentar.

O deputado federal Acelino Freitas, mais conhecido como Popó, é do PRB (Partido Republicano Brasileiro) e representa a da Bahia (BA). A cota parlamentar para deputados do Estado é de pouco mais de R$ 29,2 mil, dinheiro que pode ser usado para comprar de passagens aéreas, pagar conta de telefone e condomínio e bancar serviços postais. No mês de setembro, o deputado gastou quase a metade do total, R$ 15 mil. Só em telefonia foram aproximadamente R$ 4.000, mas a maior parte foi para o aluguel de automóveis — R$ 5.054. Em combustíveis e lubrificantes, o ex-pugilista gastou em um mês quase R$ 3.000.

Jean Wyllys de Matos Santos ficou conhecido ao participar de um reality show e conseguiu se eleger deputado federal pelo PSOL em 2010. Representante do Rio de Janeiro, Wyllys também é comunicador, escritor, jornalista e professor universitário. A cota parlamentar mensal de Wyllys é a mesma de Romário, de R$ 26,7 mil por mês. Só no mês de setembro, Jean gastou quase R$ 12 mil desse total, sendo que R$ 4.542 foram gastos com manutenção de escritório e R$ 4.000 em aluguel de veículos. Outros R$ 2.300 pagaram passagens de avião do deputado.

Além de ator, Stepan Nercessian também é deputado federal. De 2005 a 2008 Stepan foi vereador pela cidade do Rio de Janeiro, pelo PPS (Partido Popular Socialista), mas, em 2010, conseguiu uma cadeira na Câmara dos Deputados pelo mesmo partido, depois de conseguir 84 mil votos. A cota mensal do ator é a mesma de Romário, de R$ 26,7 mil, porém Nercessian gasta menos que o “Baixinho”. Em setembro, o parlamentar gastou pouco mais de R$ 7.100, valor este que Romário gastou apenas em manutenção do escritório parlamentar. Nercessian gastou a maior parte dessa verba com a divulgação da atividade parlamentar, serviço que consumiu R$ 4.870 do total.

A maior cota parlamentar é destinada aos deputados federais de Roraima, que têm direito a R$ 34.258 para pagar passagens de avião, conta de telefone, entre outros gastos. Teresa Surita (PMDB-RR) é um dos cinco parlamentares que representam o Estado na Câmara. Em 2011, ela participou da comissão criada especialmente para debater a Lei da Palmada. Em setembro, Teresa não chegou a usar os R$ 34,2 mil — foram R$ 20,4 mil, a maioria (R$ 20 mil) para consultorias, pesquisas e trabalhos técnicos. Em agosto, porém, a deputada ultrapassou a cota e gastou R$ 35,2 mil (nesse caso, o parlamentar é obrigado a ressarcir os cofres públicos). A maior parte da verba de agosto foi para a divulgação de atividade parlamentar (R$ 20 mil) e consultorias, pesquisas e trabalhos técnicos (R$ 14,4 mil).

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s