Colombo pede ajuda para obras de infraestrutura em Santa Catarina


A presidenta Dilma Rousseff recebeu, nesta terça-feira (21/6), o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, no Palácio do Planalto. Após a audiência, Colombo concedeu entrevista quando informou que havia solicitado o encontro para pedir à presidenta Dilma interferência para avançar obras de infraestrutura que considera importante para Santa Catarina. Na reunião, que teve a participação das ministras Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e Ideli Salvatti (Relações Institucionais), o governador tratou de obras em rodovias, aeroporto de Florianópolis e na construção de presídio na capital catarinense.

“Quando a presidenta Dilma esteve em Blumenau para a entrega de residências no âmbito do programa Minha Casa, Minha Vida, solicitei a audiência. Uma das questões importantes é a duplicação da BR 470, utilizada no escoamento da produção para os portos do estado. Esta obra prevê investimentos superiores a R$ 1 bilhão”, informou o governador.

Segundo Colombo, a presidenta Dilma mostrou-se favorável ao pedido e, durante o encontro, deu telefonemas para auxiliares para solicitar empenho para que as obras deslanchem. O governador disse também que na conversa tratou das obras na BR 101 e no aeroporto da capital. Raimundo Colombo disse que há um pedido de financiamento de US$ 250 milhões para recuperação de estradas estaduais e mais R$ 40 milhões junto ao BNDES para melhorias em infraestrutura no município de Joinville.

O governador disse que saiu da reunião mais otimista. Isso, segundo explicou, deveu-se ao fato de que os pedidos apresentados vão ganhar um ritmo mais acelerado. Colombo explicou que a duplicação da BR 470, por exemplo, terá o edital lançado já no próximo mês. Enquanto isso, a BR 101 necessita de obras em tuneis e pontes, além de encontrar-se na dependência de licença por parte do Ibama.

Na entrevista, Raimundo Colombo explicou ainda que tratou com a presidenta Dilma Rousseff sobre a questão das dívidas dos estados. Segundo ele, o modelo de cobrança dos juros é inviável aos governos. Ele disse que há sinalização por parte da equipe econômica no sentido de buscar um solução para o tema. Com relação ao pagamento dos royalties do petróleo, assunto em discussão no Congresso Nacional, o governador catarinense assegurou ser favorável ao sistema de partilha que beneficie todos os estados, sem privilegiar os produtores.

“Conversamos superficialmente sobre a questão da dívida dos estados. Mas há uma abertura no governo para avançarmos. As tratativas estão em curso”, disse.

Raimundo Colombo foi questionado também sobre a criação do PSD (Partido Social Democrata). Ele disse que na conversa com a presidenta Dilma a questão política sequer foi abordada. Para Colombo, o partido entra na fase de estruturação e de cumprimento de exigências legais.

Depois, os jornalistas indagaram Colombo sobre a greve dos professores da rede estadual de ensino. Segundo ele, o governo busca dialogar com os representantes dos sindicatos, mas descartou qualquer possibilidade de reajustar os salários. Ele explicou que embora considere as reivindicações legítimas os cofres do estado não têm condições de conceder reajustes. Colombo acha que isso somente ocorrerá em janeiro de 2012.

“A gente quer o diálogo. As crianças não podem ser as vítimas desse processo. Vamos descontar os dias parados e recorrer ao Poder Judiciário para declarar a greve ilegal”, contou o governador.

Fonte: Blog do Planalto.

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s